terça-feira, fevereiro 21, 2012

I know what to say until I have to say it.


"Vive menina, vive. 
Porque o tempo cura, e traz p'ra vida da gente um motivo maior p'ra seguir. 
Acredite: o passado não tem volta, e nada dói para sempre."





"I hate this town, it's  so messed up and all my friends don't give a fuck"

quinta-feira, fevereiro 16, 2012

I care too much. That's how I got hurt.

"Tenho tanto sentimento
Que é frequente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.

Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.

Qual porém é a verdadeira
E qual errada, ninguém 
Nos saberá explicar;
E que vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar."

Fernando Pessoa.



‎"You never call me when you're sober, 
you only want it 'cause it's over"

terça-feira, fevereiro 14, 2012

Why can't we make this darkness feel like home?

"Talvez o sofrimento seja lançado às multidões em punhados e talvez o grosso caia em cima de uns e pouco ou nada em cima de outros."
(José Luís Peixoto)




"Cry with a smile, my heart was dreaming
Of time I knew would come to an end
Why do I cry about a beautiful memory?
Why do I feel so hurt, so lonely?"

segunda-feira, fevereiro 13, 2012

"I've done it"

   
É, sem sombra de dúvida, um dos meus filmes favoritos (porque me considero incapaz de escolher um derradeiro favorito). Aconselho vivamente esta obra-prima cinematográfica, que foi esquecida da Cerimónia dos Oscars de 2000- tal como a cerimónia de entrega dos Grammys, em que podemos testemunhar a decadência da indústria musical, um prémio de cada vez. 
   Para (espero eu!) aguçar-vos o apetite, aqui vos deixo o trailer  do filme (Atenção: existem duas versões deste filme; uma com a correcta ordem dos acontecimentos, e na segunda versão os acontecimentos estão baralhados, quase numa ordem reversa) e uma das minhas cenas  preferidas do filme.










   "I don't even know how long she's been gone. It's like I've woken up in bed and she's not here ... because she's gone to the bathroom or something. But somehow I just ... I just know she's never gonna come back to bed. If i could just reach over and touch her side of the bed, I would know that it was cold. But I can't. I know I can't have her back, but I don't wanna wake up in the morning thinking she's still here, or I here not knowing how long I've been alone. So ... how can I heal, how I'm suppost to heal if I can't feel time?"


P.S.: Este monólogo traz-me as lágrimas aos olhos, todas as vezes que o vejo.

sábado, fevereiro 11, 2012

I wanted to tell you all my secrets, but you became one of them instead.


"Tenho fases, como a lua, 
Fases de andar escondida, 
fases de vir para a rua... 
Perdição da minha vida! 
Perdição da vida minha! 
Tenho fases de ser tua, 
tenho outras de ser sozinha. 

Fases que vão e que vêm, 

no secreto calendário 

que um astrólogo arbitrário 

inventou para meu uso. 


E roda a melancolia 

seu interminável fuso! 

Não me encontro com ninguém 
(tenho fases, como a lua...). 
No dia de alguém ser meu 
não é dia de eu ser sua... 
E, quando chega esse dia, 
o outro desapareceu... "

"Lua Adversa", Cecília Meireles



"I don't care, I don't care, I don't care"

sexta-feira, fevereiro 10, 2012

At the end of the day, all we have is who we are.



"Minha esperança perdeu seu nome... 

Fechei meu sonho, para chamá-la. 

A tristeza transfigurou-me 

como o luar que entra numa sala. 

O último passo do destino 
parará sem forma funesta, 
e a noite oscilará como um dourado sino 
derramando flores de festa. 

Meus olhos estarão sobre espelhos, pensando 
nos caminhos que existem dentro das coisas transparentes. 
E um campo de estrelas irá brotando 
atrás das lembranças ardentes. "

"Atitude", Cecília Meireles




"Whatever walks in my heart, 
will walk alone"

quinta-feira, fevereiro 09, 2012

Sleep away the sadness of today.



"De que são feitos os dias? 

- De pequenos desejos, 

vagarosas saudades, 

silenciosas lembranças. 

Entre mágoas sombrias, 
momentâneos lampejos: 
vagas felicidades, 
inactuais esperanças. 

De loucuras, de crimes, 
de pecados, de glórias 
- do medo que encadeia 
todas essas mudanças. 

Dentro deles vivemos, 
dentro deles choramos, 
em duros desenlaces 
e em sinistras alianças... "

"De que são feitos os dias?" Cecília Meireles





"But sometimes hate is not enough to turn this all to ashes" 

quarta-feira, fevereiro 08, 2012

The best part of me is well hidden.


"Teu nome é quase indiferente 

e nem teu rosto já me inquieta. 

A arte de amar é exactamente 

a de se ser poeta. 


Para pensar em ti, me basta 

o próprio amor que por ti sinto: 
és a ideia, serena e casta, 
nutrida do enigma do instinto. 

O lugar da tua presença 
é um deserto, entre variedades: 
mas nesse deserto é que pensa 
o olhar de todas as saudades. 

Meus sonhos viajam rumos tristes 
e, no seu profundo universo, 
tu, sem forma e sem nome, existes, 
silêncio, obscuro, disperso. 

Teu corpo, e teu rosto, e teu nome, 
teu coração, tua existência, 
tudo - o espaço evita e consome: 
e eu só conheço a tua ausência. 

Eu só conheço o que não vejo. 
E, nesse abismo do meu sonho, 
alheia a todo outro desejo, 
me decomponho e recomponho."


"Personagem", Cecília Meireles



‎"The beauty spot was borrowed, now my sweet knife rusts tomorrow 
I'm a confession that is waiting to be heard"

terça-feira, fevereiro 07, 2012

"I am in repair, I'm not together but I'm getting there."


"No meio do mundo faz frio, 

faz frio no meio do mundo, 

muito frio


Mandei armar o meu navio. 

Volveremos ao mar profundo, 

meu navio! 

No meio das águas faz frio. 
Faz frio no meio das águas, 
muito frio. 

Marinheiro serei sombrio, 
por minha provisão de mágoas. 
Tão sombrio! 

No meio da vida faz frio, 
faz frio no meio da vida. 
Muito frio. 

O universo ficou vazio, 
porque a mão do amor foi partida 
no vazio. "

"Prazo de vida", Cecília Meireles.








"First day of love never comes back
A passionate hour is never a wasted one
The violin, the poet's hand
Every thawing heart plays your theme with care"

segunda-feira, fevereiro 06, 2012

You turned out to be more of a distraction than a destination.




"Pergunto-te onde se acha a minha vida. 

Em que dia fui eu. Que hora existiu formada 

de uma verdade minha bem possuída. 


Vão-se as minhas perguntas aos depósitos do nada. 


E a quem é que pergunto? Em quem penso, iludida 

por esperanças hereditárias? E de cada 

pergunta minha vai nascendo a sombra imensa 
que envolve a posição dos olhos de quem pensa. 

Já não sei mais a diferença 
de ti, de mim, da coisa perguntada, 
do silêncio da coisa irrespondida. "

"Pergunto-te onde se acha a minha vida", Cecília Meireles.







‎"I'd like to love you but my heart is a sore"

domingo, fevereiro 05, 2012

‎"The truth never set me free, so I did it myself"



"Aqui está minha vida — esta areia tão clara 
com desenhos de andar dedicados ao vento. 



Aqui está minha voz — esta concha vazia, 

sombra de som curtindo o seu próprio lamento. 

Aqui está minha dor — este coral quebrado, 
sobrevivendo ao seu patético momento

Aqui está minha herança este mar solitário, 
que de um lado era amor e, do outro, esquecimento."

"Apresentação", Cecília Meireles.






‎"I've got an F and a C and I got a K too and the only thing that's missing is a bitch like  yoU"