terça-feira, setembro 20, 2011

Check, please.

O'leo de Marrocos, o meu cabelo tera' saudades tuas. = (

O que amamos está sempre longe de nós: 
e longe mesmo do que amamos - que não sabe 
de onde vem, aonde vai nosso impulso de amor. 

O que amamos está como a flor na semente, 
entendido com medo e inquietude, talvez 
só para em nossa morte estar durando sempre. 

Como as ervas do chão, como as ondas do mar, 
os acasos se vão cumprindo e vão cessando. 
Mas, sem acaso, o amor límpido e exacto jaz. 

Não necessita nada o que em si tudo ordena: 
cuja tristeza unicamente pode ser 
o equívoco do tempo, os jogos da cegueira 

com setas negras na escuridão."

"O que amamos está sempre longe de nós", Cecília Meireles



quarta-feira, setembro 14, 2011

My fear is that no one will ever be what you were to me.


"Se ao pudesse dedicar-me a outra coisa - a um ideal, a um cana'rio, a um cao, a uma mulher, a uma investigac'ao histo'rica, soluc'ao impossi'vel dum problema gramatical inu'til ... Entao sim, talvez fosse feliz. Esses nadas seriam coisas para mim. Mas nada e' coisa para mim, senao as ficc'oes dos meus sonhos, e esses sao nadas por direito pro'prio. Ainda quando tenho o prazer de os sonhar, tenho a amargura de conhecer que os sonho."

Por Fernando Pessoa, encontrado no seu dia'rio de 1914. 


"She just walked away, why didn't she tell me?
And where do I go tonight? This isn't happening to me,
This can't be happening to me, she didn't say a word,
Just walked away"

segunda-feira, setembro 12, 2011

Because sometimes, the people you can't live without, can live without you.



"Chegam cedo demais, quando ainda nao podem escolher
nem decidir. Vem carregafos de espectros, de memo'rias
e de feridas que nao souberam sarar; mas trazem a confianc'a
da cura nas palavras. Convencem-se de que amam outra vez

quando nos tocam nos pequenos lugares, esquecendo-se do rumo
incerto dos seus passos nas estradas torturosas que os trouxeram.
Abafam-se num cobertar de mentiras sem saber e
falam de injustic'as quando tentamos chama'-los 'a verdade.

Dormem de vez em quando nas nossas camas e protegemo-los
da dor como aos filhos que nao iremos ter 
nunca porque nao nos resignamos a perde-los.
E, um dia, partem, vao

culpados, nao chegam a explicar o que os arrasta.
Escrevem,  cartas mais tardem - uma ou duas linhas, 
para se aliviarem dessa espada.
E no's ficamos, eternamente, sem vergonha, 'a espera que regressem."

(Maria do Rosa'rio Pedreira, in A Casa e o Cheiro dos Livros)



"You were my fire
so I burned, now there's nothing left of me."

domingo, setembro 11, 2011

And here I rest, where disappointment and regret collide.

   "Nao dormes comigo 'a noite quando eu me volto e torno a voltar na  cama, buscando um sono que te apague de mim, que afaste as perguntas que entao me devoram "Onde estara' ele agora? Estara' sozinho em casa, sofrendo por minha causa? Estara' acompanhado, dando a outra mulher o que ja' nao tenho dele? ..." .(...) E que sabes tu do meu sono? Que, imaginas tu da minha noite? Sabera's tu que as mais felizes sao aquelas em que chego 'a cama e adormec'o, como na mu'sica de Simone, "Eu nao me lembro, nem esquec'o - adormec'o".

(Conteu'do censurado), Miguel Sousa Tavares.

sábado, setembro 10, 2011

Everything results in someone leaving.


"   Nao, nao gosto de dizer "adeus" nem de ver o fim de nada, sobretudo se nao lhe vi o principi'o. Prefiro dizer ate' um dia destes, mesmo que esse dia demore anos. Ou entao, afastar-me sem uma palavra, e deixar no ar o miste'rio de nao saber quando, como e porque e' que nos voltaremos a encontrar. Assim nao sou eu que ponho fim 'as coisas, mas as coisas que um dia acabarao ou nao por si.

(...)

   Os fins doem tanto. Porque ale'm de acabarem, ainda temos de nos despedir."

(Margarida Rebelo Pinto)



"If you just walked away what could I really say?
And would it matter anyway?
It wouldn't change how you feel"

quarta-feira, setembro 07, 2011

I'm that person everyone replaces after a while.


"   Eu senti que nao me amavas da mesma forma, mas nao queria aceitar tal evidencia, por isso vazei os olhos da minha lucidez num gesto de obstinac'ao descontrolada. Era-me mais fa'cil entao ficar temporariamente cega do que aceitar a realidade. Amava-te demasiado, desistir de ti era quase como morrer.
   Agora, com o ve'u da distancia, pode parecer-te um exagero, mas foi o que senti durante esse tempo, essa era a minha realidade. No segundo ano, quando finalmente aceitei que nao me amavas, nem da mesma forma nem de qualquer outra, acumulei o meu amor por ti com uma afeic'ao profunda, quase maternal. E no terceiro ano, quando as circunstancias me afastaram dos dois e mergulhei numa tristeza imensa, que me devorou dos dois e da qual so despertei pouco antes de ter ficado doente, tentei esquecer-te mesmo sabendo que isso nunca iria acontecer.  Eu quis tanto que tu me amasses ... Nao se pode querer isso dos outros, e' uma violencia para eles e para no's pro'prios. Tu foste a minha grande aposta e a minha maior decepc'ao."

(Margarida Rebelo Pinto) 


"You were my angel
And I feel that it's not worth it anymore
You make me feel that I'm not worth it anymore"

segunda-feira, setembro 05, 2011

"Eu mato o tempo para ele não me matar."

"Quando amamos algue'm, nao perdemos so' a cabec'a, perdemos tambe'm o nosso corac'ao. 
Ele salta para fora do peito, e depois, quando volta, ja' nao e' o mesmo, e' outro, com cicatrizes novas. A's vezes volta maior, se o amor foi feliz, outras regressa feito numa bola de traposm e' preciso reconstrui'-lo com paciencia, dedicac'ao e  muito amor-pro'prio. E outras vezes nao volta. Fica do outro lado, na vida de quem nao quis ficar do nosso lado."

(Margarida Rebelo Pinto)



quinta-feira, setembro 01, 2011

May the dreams of your past be the reality of your future.


"Ha' mesmo um dia, meu querido, em que chega a libertac'ao, dia D do corac'ao. Nunca e' quando queremos,  apenas quando estamos preparados, e para nos prepararmos nao e' preciso querer. Quantas e quantas vezes as pessoas usam o verbo 'conseguir' de forma errada! Quando eu dizia que nao te conseguia esquecer, a verdade e' que nao queria esquecer-te. Tu alimentaste a minha inspirac'ao durante demasiado tempo e nada e' mais difi'cil de uma pessoa se libertar do que um ha'bito que lhe traz benefici'os."

Margarida Rebelo Pinto.



"How could you cheat on me? Then turn your back on me?
You told me all the lies and hypnotized, and I believed"